Se atritem e cresçam

Corpos se atritem
Pede do leitor maior atenção para as possibilidades não imediatas de um texto, incluindo aí os restos, as respirações, os tempos mudos e, também, maior escuta das diferentes espécies de silêncio que articulam de um só golpe palavras e afetos, fazendo com que corpos (o corpo de quem diz e o corpo de quem no escutar se encontram) se unam, e se atritem: e cresçam juntos. Clarice Lispector, no livro "O Tempo"

Relacionados

Texto de Clarice Lispector
Todo mundo que aprendeu a ler e escrever tem uma certa vontade de escrever. É legítimo: todo o ser tem algo a dizer. Mas é preciso mais do que a vontade para escrever. Ângela diz, como milhares de pessoas dizem (e com razão): "minha vida é um verdadeiro romance, se eu escrevesse contando ninguém acreditaria". E é verdade. A vida de cada pessoa é passível de um aprofundamento doloroso e a vida de cada pessoa é "inacreditável". O que devem fazer essas pessoas? O que Ângela faz: escrever sem nenhum compromisso. Às vezes uma só linha basta para salvar o próprio coração. in Um Sopro de Vida Clarice Lispector
Papel amassado
É curioso como não sei dizer quem sou. Quer dizer, sei-o bem, mas não posso dizer. Sobretudo tenho medo de dizer, porque no momento em que tento falar não só não exprimo o que sinto como o que sinto se transforma lentamente no que eu digo. Clarice Lispector
Balanço no parque
Esta é a vida vista pela vida. Posso não ter sentido mas é a mesma falta de sentido que tem a veia que pulsa. Clarice Lispector – Água Viva
Homem refletindo
O definível está me cansando um pouco. Prefiro a verdade que há no prenúncio. Clarice Lispector – A Hora da Estrela.
Mulher mergulhando
Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento. Clarice Lispector
Folha de outono
Escuta: eu te deixo ser, deixa-me ser então. Clarice Lispector – Água Viva.
Mulher no balanço
Liberdade é pouco. O que desejo ainda não tem nome. Clarice Lispector – Perto do Coração Selvagem.
Ser ou não ser
Já que sou, o jeito é ser. Clarice Lispector – A Hora da Estrela.
Vista da cidade
Suponho que me entender não é uma questão de inteligência, e sim de sentir... Clarice Lispector
Folha de papel azul
Pensar é um ato. Sentir é um fato. Os dois juntos – sou eu que escrevo o que estou escrevendo. Clarice Lispector – A Hora da Estrela.