Texto de Clarice Lispector sobre a realidade

Um breve Texto de Clarice Lispector sobre a realidade:

Era muito impressionável e acreditava em tudo o que existia e no que não existia também.

Mas não sabia enfeitar a realidade. Para ela a realidade era demais para ser acreditada. Aliás a palavra “realidade” não lhe dizia nada. Nem a mim, por Deus.

Relacionados

Mar com texto de Clarice Lispector
Corro perigo. Como toda pessoa que vive. E a única coisa que me espera. É exatamente o inesperado.
Não é a toa que entendo os que buscam caminho. Como busquei arduamente o meu! E como hoje busco com sofreguidão e aspereza o meu melhor modo de ser, o meu atalho, já que não ouso mais falar em caminho. Eu que tinha querido. O caminho, com letra maiúscula, hoje me agarro ferozmente à procura de um modo de andar, de um passo certo. Mas o atalho com sombras refrescantes e reflexo de luz entre as árvores, o atalho onde eu seja finalmente eu, isso não encontrei. Mas sei de uma coisa; meu caminho não sou eu, é o outro, são os outros. Quando eu puder sentir plenamente o outro, estarei salva e pensarei: eis o meu porto de chegada. Texto de Clarice Lispector.
Frases de Clarice Lispector
Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro.
Abandone-se, tente tudo suavemente, não se esforce por conseguir - esqueça completamente o que aconteceu e tudo voltará com naturalidade - Clarice Lispector.
Frase sobre livro
Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com seu amante.
Onde aprender a odiar para não morrer de amor?
Frase sobre rosa
Qualquer um pode amar uma rosa, mas é preciso um grande coração para incluir os espinhos. Clarice Lispector.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz - Clarice Lispector.
Frase sobre ferir
Só uma coisa a favor de mim eu posso dizer: nunca feri de propósito. E também me dói quando percebo que feri.
Estou com saudade de mim. Ando pouco recolhida, atendendo demais ao telefone, escrevo depressa, vivo depressa. Onde está eu? Preciso fazer um retiro espiritual e encontrar-me enfim - enfim, mas que medo - de mim mesma. - Clarice Lispector.